As principais evoluções tecnológicas de 2017

As principais evoluções tecnológicas de 2017

Posted Leave a commentPosted in Tecnologia e Gestão

No mundo da tecnologia, todos os anos são importantes, pois a evolução neste setor é uma constante e o que hoje é uma novidade, amanhã poderá já estar ultrapassado. O final do ano é sempre uma época de balanços e chegou a hora de analisarmos as principais evoluções tecnológicas de 2017 e o impacto que tiveram no mundo dos negócios!

Inteligência artificial

Quem não conhece a robot Sophia? Este humanóide foi desenvolvido pela empresa Hanson Robotics, de Hong Kong, e é capaz de reproduzir 62 expressões faciais. Foi criada para conseguir aprender, trabalhar e adaptar-se ao comportamento. O facto deste robot ter recebido a cidadania de um país este ano, é um passo muito importante para o mundo da inteligência artificial. O grande objetivo desta nova forma de inteligência é tornar a vida dos colaboradores das empresas mais fáceis, através do desempenho de funções repetitivas e mais burocráticas. 2017 foi um ano muito importante para esta área, sendo uma das principais evoluções tecnológicas, e prevê-se que em 2018 a tendência seja evoluir ainda mais.

Armazenamento e software na Cloud

Já não é novidade que o uso da Cloud tem vindo a crescer nos últimos anos. A maior segurança da informação e a capacidade de aceder aos dados a partir de qualquer dispositivo e de qualquer lugar do Mundo são fatores que levaram as empresas em 2017 a optar por estas soluções. Este foi o ano em que a posição da Cloud ficou vincada no mundo empresarial e, atualmente, já não existe desconfiança perante as soluções na nuvem, mas sim uma necessidade e uma procura crescentes.

Bots

Os bots são sistemas que conseguem simular ações humanas, desempenhado o papel de assistentes virtuais. O grande objetivo da utilização desta tecnologia é tornar a experiência do utilizador mais interessante. Os bots são programados para dar informação sobre produtos e serviços, sem ter que fazer uma pesquisa (bons exemplos disto é a assistente Anna do Ikea e a Siri da Apple). Em 2017, os bots tornaram-se melhores na interpretação da linguagem humana e cada vez mais as empresas optam por utilizar estes pequenos robots, sobretudo nas áreas de serviço pós-venda.

Mobilidade

O presente é móvel e não existem dúvidas quanto a isso. Em 2017 provou-se que a mobilidade tem que fazer parte da vida das empresas. Um estudo recente da IBM revela que passamos 90% do nosso tempo perto do nosso telemóvel. Ao longo deste ano, as empresas de tecnologia ganharam a consciência de que, se pretendem vencer no mundo competitivo de hoje em dia, devem adaptar-se aos dispositivos móveis. Ter um site mobile friendly e softwares que funcionem em telemóveis e tablets é obrigatório para estar sempre um passo à frente da concorrência.

Internet das Coisas

Este ano, o número de dispositivos que envia informação cresceu drasticamente, tornando-se numa das principais evoluções tecnológicas. Estima-se que até 2020 existam entre 20 a 30 biliões de dispositivos conectados. O grande objetivo da Internet das Coisas (IoT) é tornar os objetos mais eficientes. Por exemplo, numa linha de produção, através deste sistema, é possível detetar eventuais problemas em máquinas antes de causarem danos a toda a produção.

 

O mundo da tecnologia avança a um ritmo alucinante e as empresas devem estar a par de todas as novidades para se manterem atualizadas no mercado onde atuam. Compilamos as maiores tendências tecnológicas de 2018 num e-book gratuito! Faça download e saiba tudo o que vai acontecer em termos de tecnologia no ano que está a chegar!

5 Aplicações da Internet das Coisas no mundo da Indústria

5 Aplicações da Internet das Coisas no mundo da Indústria

Posted Leave a commentPosted in Soluções de Gestão

As principais aplicações da Internet das Coisas na Indústria

A Internet das Coisas descreve um cenário em que variados objetos utilizados no quotidiano estão ligados à Internet. Atualmente, cada vez mais objetos se encontram ligados à Internet. No início desta era digital, apenas era possível conectar smartphones e tablets. No entanto, nos últimos anos temos assistido a uma revolução nesta área e atualmente já é possível conectar consolas de jogos, televisões e câmaras de vigilância à rede. As aplicações da Internet das Coisas tem uma visão que vai ainda mais além disto.

Este novo conceito propõe que conectemos diversos objetos à rede, não com o intuito de criar um novo meio de consultar informação na Internet mas sim com a finalidade de tornar os objetos mais eficientes. Pensemos no exemplo de um frigorífico. Com a definição da Internet das Coisas, o objeto teria a capacidade de nos informar quando o prazo de validade de um alimento está a chegar ao fim. No caso de um termostato, este objeto seria capaz de pesquisar as condições climáticas da zona onde se encontra para definir as condições ideais para o ar condicionado.
De acordo com o Gartner, em 2020 existirão 20,8 milhões de dispositivos interconectados, sem contar com os computadores e dispositivos móveis. Estima-se que em 2020 existirão 7,3 milhões de pessoas no planeta, o que significa que em média cada habitante da Terra terá cerca de três objetos conectados à rede. A nível da indústria, existem variadíssimas aplicações da Internet das Coisas, das quais destacamos as 5 mais importantes.

Produção
Com as aplicações da Internet das Coisas na fase de produção é possível identificar problemas que possam ter impacto no resultado final e comprometer a sua qualidade. Assim é possível implementar ações de correção e aumentar a eficiência e produtividade das máquinas.

Serviços de Manutenção
Ao ter informação detalhada e atualizada sobre o desgaste dos produtos é possível reduzir os custos de manutenção. Esta funcionalidade permite identificar defeitos ou falhas, evitando a avaria dos produtos e os custos associados. Os sensores são capazes de detetar vibrações ou temperaturas anormais e recomendar uma manutenção preventiva.

Engenharia
A monitorização do funcionamento das máquinas e a sua configuração contribui para definir ajustes no processo de produção, incluindo ao nível das matérias-primas.

Logística
Os sensores conectados contribuem para uma maior agilidade ao longo de toda a cadeia de distribuição. A informação em tempo real permite saber onde se encontra um determinado lote e se existiu alguma anomalia ao longo do processo de transporte. Os sensores contribuem também para implementar melhorias nos processos futuros, contribuindo para redução de custos e aumento de eficiência.

Gestão de frotas
A Internet das Coisas permite monitorizar frotas e otimizar velocidades, consumos, estado da viatura, entre outros indicadores.
A Internet das Coisas pode aplicar-se virtualmente a tudo e é colocada pela Gartner no mix das cinco tecnologias digitais que a maioria das empresas terá incluído nas suas plataformas nos próximos anos. Este é mais um conceito que mostra a importância de ter informação em tempo real. Cada vez as pessoas necessitam de estar constantemente atualizadas e isso contribui para melhorias nos processos industriais.