5 Mitos sobre a transformação digital que precisa de eliminar agora mesmo

5 Mitos sobre a transformação digital que precisa de eliminar agora mesmo

Posted Leave a commentPosted in Tecnologia e Gestão

A transformação digital pode significar mudanças profundas numa organização. Quando é aplicada de forma correta, pode trazer benefícios enormes para a empresa e resultar em aumentos de lucro e em redução de despesas. A transformação digital é um processo que deve ser bem analisado antes da sua implementação, pois uma decisão errada na hora de aplicar este conceito pode prejudicar gravemente a empresa. A transformação digital encontra-se envolta em mitos, ou seja, ideias pré-concebidas que fazem com que os empresários olhem com desconfiança e com receio para esta onda de mudança. No artigo de hoje, apresentamos algumas vantagens da transformação digital e 5 mitos que precisa de eliminar agora mesmo!

Principais vantagens

Maior competitividade

A transformação digital torna os processos mais fluídos e gerir todos os departamentos da empresa torna-se numa tarefa mais fácil e intuitiva. A definição, implementação e melhoria dos processos de negócio para uma abordagem mais prática e facilitadora é o objetivo da adoção de novas tecnologias nos negócios.

Melhor índice de satisfação dos clientes

tecnologia permite que os clientes se tornem mais próximos das marcas e que se estabeleça uma relação mais forte de lealdade. Com o uso das redes sociais, hoje em dia é possível marcar presença na vida quotidiana dos potenciais clientes através de partilhas e ofertas especiais. As empresas também estão a adotar o envio de ofertas especiais por SMS e e –mail, o que faz o cliente sentir-se especial.

Oportunidade para inovar

Quando as empresas implementam a transformação digital nos seus negócios, são capazes de incluir melhorias nos seus processos, promovendo assim a inovação. Têm também uma maior margem para inovarem os seus produtos e serviços pois a inclusão de novas tecnologias permite que incluam melhorias significativas na sua oferta.

Redução de custos

A principal preocupação dos gestores é sempre encontrar formas de reduzir os custos das empresas. A transformação digital, nomeadamente a nível da utilização de serviços na nuvem, permite que as empresas reduzam de forma significativa os seus custos operacionais. O uso desta tecnologia permite reduzir ou mesmo eliminar a infraestrutura de TI local, diminuir o volume de impressões e realizar reuniões via Skype, eliminado os gastos com viagens longas.

Desmistificando ideias pré-concebidas…

Mito 1: a transformação digital é uma função exclusiva da área de TI

A modernização da forma como a tecnologia é aplicada na empresa é uma responsabilidade de todos os setores e não apenas do setor de TI. Este processo de transformação deve ter início no topo da organização, onde se define a estratégia a adotar pelos gestores de topo. É preciso que o exemplo venha da gestão superior para depois as mudanças se aplicarem nas restantes áreas. Todas as áreas são afetadas pela transformação digital, pois as vendas, o marketing, a produção e muitas outras atividades são “vítimas” da mudança que esta transformação traz. O departamento de TI é importante neste processo, na medida em que deverá dar suporte a todas as áreas.

Mito 2: a transformação digital só se aplica nas empresas grandes

Transformar o negócio, os processos, a abordagem e as relações para que evoluam já é imprescindível para o sucesso das empresas. As pequenas empresas não ficam de fora deste novo paradigma. A transformação digital bem implementada pode ajudar as pequenas empresas a crescerem significativamente, uma vez que melhora os processos e reduz custos. Essa poupança de custos pode ser depois aplicada em investimentos que façam com que a empresa evolua mais rapidamente.

Mito 3: a transformação digital é o melhor caminho para todas as empresas

Quando um conceito está muito em voga, cai-se facilmente no erro de pensar que já que está na moda é adequado para todos. Contudo, a transformação digital é um processo complexo que vai muito além da simples atualização de software. Esta nova forma de trabalhar não é uma receita standard que possa ser seguida por todas as empresas e por isso é fundamental avaliar os impactos que esta transformação terá para o negócio, avaliando riscos e gastos.

Mito 4: a transformação digital vai reduzir muitos postos de trabalho

Infelizmente, este é um dos mitos mais comuns no que diz respeito a tecnologia. Ainda existem muitas pessoas que pensam que a evolução da tecnologia vai transformar o Mundo num local povoado por robots que irão desempenhar as nossas funções. Nada está mais errado do que este pensamento. Apesar de a transformação digital usar a inteligência artificial, é preciso que existam recursos humanos capazes de lidar com esta inteligência e de a adaptar à verdadeira realidade da empresa. A transformação digital pretende reduzir o trabalho monótono, afinar processos e melhorar os resultados da empresa. A interação humana nas empresas é completamente imprescindível, pelo que é completamente infundamentado pensar que as pessoas serão descartadas no final da sua implementação.

Mito 5: a transformação digital termina no momento da sua implementação

A implementação é apenas o início de uma viagem pelo mundo digital. A transformação digital deve ser encarada como um processo contínuo, pois é preciso avaliar constantemente a realidade da empresa e os cenários de negócio que existem a cada momento. Só deste modo é que possível encontrar as ferramentas adequadas para melhorar os processos empresariais.

A transformação digital nas empresas é cada vez mais uma necessidade e já não é encarada apenas como uma moda. Hoje em dia, uma empresa que não existe online é quase como se não existisse e é facilmente ultrapassada pela concorrência. As tecnologias digitais redefiniram a forma das empresas fazerem negócios, alteraram o modo como nos relacionamos com os clientes e a forma de comunicar. Uma pesquisa da Forrester revela que os empresários das grandes empresas esperam que 47% do total de vendas seja influenciado pelos meios digitais em 2020. Está na hora de transformar a sua empresa! Está preparado para esta transformação?

Big Data Analytics: tudo o que precisa de saber sobre este conceito

Big Data Analytics: tudo o que precisa de saber sobre este conceito

Posted 1 CommentPosted in Dicas de Gestão

Big Data é um termo cada vez mais usado nas empresas em todo o Mundo e no fundo nada mais é do que a busca constante pela melhoria dos processos de negócio e pela aquisição de insights importantes sobre tendências de mercado e comportamento dos consumidores. Quando uma empresa consegue obter informações valiosas sobre o meio onde se insere, torna-se muito mais fácil tomar decisões acertadas para o futuro dos negócios. No artigo de hoje falamos sobre Big Data Analytics!

Definição

Big Data é o termo que descreve o incomensurável volume de dados (estruturados ou não) que têm impacto nos negócios diariamente. Mais importante do que a quantidade de dados, é o que as empresas podem efetivamente fazer com esses dados. O Big Data encontra-se associado a 3 V’s: volume de dados, variedade de dados e velocidade de dados. Big Data diz respeito a quantidades enormes de dados produzidos pela interação humana com a tecnologia, mais a informação que se gera pela comunicação entre máquinas. A variedade de dados diz respeito às múltiplas fontes de informação com que as empresas lidam diariamente (posts em redes sociais, informações financeiras, informações de marketing, entre muitas outras). A velocidade com que os dados são produzidos é cada vez maior e é preciso que as empresas utilizem ferramentas como o Multipeers, que lhes permitam analisar em tempo real o que se passa no negócio.

Tipos de Big Data

Dados estruturados vs dados não estruturados: os primeiros podem ser utilizados no seu formato original e por norma são organizados em linhas e colunas, como numa folha de Excel. Um exemplo de dados estruturados é a informação financeira de uma empresa organizada numa tabela de Excel. Os dados não estruturados não seguem nenhuma regra nem têm uma estrutura definida e as imagens e publicações em redes sociais são bons exemplos de dados não estruturados.

Vantagens do Big Data Analytics

Analisar o negócio em tempo real

informação cresce a um ritmo muito acelerado, o que torna cada vez mais difícil a sua análise. A solução indicada é analisar os dados em tempo real para tirar o máximo partido da informação. Produtos como o Multipeers permitem analisar a cada segundo o que se está a passar com o negócio. Desta forma, é possível tirar o máximo partido dos dados para tomar as melhores decisões para o negócio. Aliar a grande quantidade de dados gerada nas empresas a uma análise em tempo real permite obter insights essenciais para o sucesso dos negócios.

Melhor recolha dos dados

Os dados surgem dos mais diversos canais e através do Big Data é possível centraliza-los e agrupá-los por afinidades. É possível estar mais perto do cliente através da recolha de dados por meio de questionários, aplicações, cartões de fidelidade, entre outros instrumentos. Os dados recolhidos são essenciais para que se possa fazer um planeamento assertivo das ações de marketing e comunicação.

Maior eficácia do negócio

Mais do que conhecer o mercado, as empresas conseguem, através do Big Data, usar os dados para mudar o negócio e aumentar o retorno sobre o investimento. Usar os conhecimentos das experiências analíticas permite às empresas criar novos indicadores de negócio e analisá-lo de modo mais abrangente e objetivo. Desta forma, conseguirão melhores níveis de rendimento que se refletirão no sucesso do negócio.

Tipos de análise para conhecer melhor a concorrência

Tipos de análise para conhecer melhor a concorrência

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Vivemos num mundo muito competitivo e a área dos negócios não foge a esta regra. Assim, é essencial que as empresas conheçam bem a sua concorrência, de modo a saber quais ferramentas utilizar e quais estratégias adotar para vencer no mercado. As redes sociais vieram facilitar o acompanhamento da nossa concorrência, pois é muito fácil saber em que produtos ou serviços estão a apostar e quais as reações dos consumidores a estes mesmos produtos e serviços, por exemplo. No artigo de hoje, falamos sobre os tipos de análise para conhecer melhor a concorrência!

Análise preditiva

A análise preditiva é uma forma avançada de Data Analytics que tem como objetivo responder à questão “o que vai acontecer?”. É um tipo de análise que faz previsões através de probabilidades. Esta análise é possível graças a técnicas como análise de regressão e progressão, correspondência de padrões e diversos tipos de estatística. Este tipo de Data Analytics é muito utilizado em empresas do mercado de ações e investimentos. É um tipo de análise muito importante, pois permite-nos compreender a atuação das empresas nos mercados e antecipar problemas e tendências.

Análise diagnóstica

A análise diagnóstica vai explicar-nos porque é que determinada coisa aconteceu. Este tipo de análise vai relacionar todos dados e informações disponíveis, de modo a encontrar padrões de comportamento que possam explicar os resultados. É uma análise importante para encontrar problemas e sobretudo para evitar repeti-los no futuro. Permite-nos relacionar a nossa atuação com a atuação da nossa concorrência, o que faz com que seja possível encontrar pontos de melhoria e minimizar ações nefastas para a imagem da empresa.

Google Alerts

Esta é uma ferramenta muito simples e muito fácil de usar. Se quiser ser alertado todas as vezes que a sua concorrência for citada no mundo Web, basta monitorizar as palavras-chave relacionadas com a concorrência. Poderá sempre saber em que áreas os seus concorrentes estão a ter destaque e esta poderá ser uma excelente forma de descobrir tendências de mercado!

Benchmarking Competitivo

O benchmarking é um instrumento que visa melhorar o desempenho de modo a posicionar-se à frente da concorrência. O processo baseia-se na aprendizagem com as melhores experiências das empresas que atuam no mesmo setor de atividade: é o chamado “aprender com os melhores”. O benchmarking competitivo tem como objetivo a análise da concorrência direta e centra-se na comparação dos produtos e serviços, métodos, estratégias e campanhas utilizadas. O objetivo é superar o bom desempenho da concorrência através da melhoria dos métodos por ela utilizados.

SocialMention

Esta ferramenta permite acompanhar tudo aquilo que se passa nos blogs, vídeos e redes sociais. Quando procurar por um termo, seja ele uma palavra-chave ou o nome de uma empresa, a ferramenta mostra-lhe tudo o que está a ser dito sobre aquele termo em blogs e plataformas sociais. O uso dela é muito similar ao Google Alerts, mas além das publicações em sites, também nos mostra as partilhas nas redes sociais e nas plataformas de vídeo, aumentando assim a sua abrangência.

Marketing digital: como monitorizar as redes sociais da sua empresa em tempo real

Marketing digital: como monitorizar as redes sociais da sua empresa em tempo real

Posted Leave a commentPosted in Internet e Marketing

Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado atualmente, o que obriga os gestores a acompanharem em tempo real tudo aquilo que se passa nas empresas. Hoje em dia, já não é aconselhável analisar apenas relatórios com alguns dias: o mercado exige que esteja sempre a par do que acontece no seu negócio. Além disso, a cada vez maior dependência do ser humano em relação às redes sociais dita a forma como as empresas devem acompanhar tudo o que se passa nos seus perfis de social media. Assim, é essencial estar sempre a par daquilo que acontece no mundo digital para que se possam aproveitar todas as oportunidades de negócio emergentes. No artigo de hoje, abordamos as principais formas de monitorizar as redes sociais da sua empresa em tempo real.

Buffer

Esta ferramenta foi criada em 2010 para agendar tweets. Contudo, o sucesso foi tanto que passou a disponibilizar o agendamento de publicações para outras redes sociais. Além do agendamento de publicações, esta ferramenta também permite criar relatórios sobre cada publicação.

Hootsuite

O Hootsuite também permite agendar publicações e dá-nos uma perspetiva real sobre o posicionamento da marca em cada rede social. O Hootsuite permite saber em tempo real aquilo que se diz sobre uma marca e possibilita ainda a criação de alertas que nos avisam sempre que alguém mencionar a nossa marca.

Impactana

Ferramenta que analisa o comportamento dos visitantes nos seus perfis nas mais diversas redes sociais. Esta ferramenta possibilita verificar as estatísticas de cliques, downloads, backlinks e comentários com bastante facilidade e em tempo real.

Multipeers

Multipeers é um sistema de monitorização do negócio que permite analisar ao minuto o que se passa na empresa. É um sistema BAM que nos dá informação sobre o estado de cada departamento, pois condensa a informação das diversas fontes de dados numa só plataforma. Deste modo, é mais fácil para os gestores saberem o que se passa em cada departamento, melhorando a comunicação entre todos e permitindo que se apliquem melhorias e correções. Além disso, também é possível ligar a ferramenta às diversas redes sociais e ser alertado sempre que existir atividade nos perfis da sua marca.

Porque devo monitorizar o que se passa nas redes sociais em tempo real?

  • Identificação de oportunidades de negócio: com a monitorização das redes sociais em tempo real poderá identificar oportunidades no exato momento em que elas aparecem, o que lhe permite estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma flutuação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, aumentando as vendas e melhorando os resultados da empresa.

  • Possibilidade de alertas: os softwares de monitorização do negócio como o Multipeers permitem que defina alertas de negócio sempre que acontecer um desvio ao que é considerado normal dentro da sua empresa. Onde quer que esteja, será notificado por SMS ou e-mail sobre eventuais alterações e poderá agir de imediato, antes mesmo de haver prejuízos para a organização.

  • Decisões mais acertadas: quando sabe exatamente o que o seu público pensa sobre si e o que ele precisa, é muito mais fácil tomar a decisão certa. Analisar o que dizem sobre si em tempo real vai dar-lhe todos os inputs necessários para que possa decidir conscientemente sobre o melhor rumo a tomar. Os relatórios com alguns dias apresentam informação desatualizada, que não corresponde ao estado real da empresa naquele momento. Por isso, muitas vezes as decisões tomadas são desajustadas e não beneficiam o negócio.

10 KPI'S de marketing para todas as empresas

10 KPI’S de marketing para todas as empresas

Posted Leave a commentPosted in Internet e Marketing

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. As ferramentas BAM como o Multipeers permitem acompanhar os KPI’s de forma contínua e em tempo real. Analisar o desempenho de forma constante garante que se dedique uma maior atenção ao cumprimento dos objetivos, aumentando efetivamente o grau de atingimento dos mesmos. A área do marketing é uma das que mais beneficia com o uso de ferramentas de monitorização de KPI’s. No artigo de hoje, vamos abordar 10 KPI’s de marketing para todas as empresas!

Taxa de crescimento anual

A taxa de crescimento anual calcula-se através da comparação de dados entre dois anos consecutivos. Com esta taxa, torna-se mais fácil perceber o desempenho anual das campanhas e retirar os valores que os efeitos da sazonalidade possam causar. Esta taxa de crescimento anual também permite perceber tendências.

Taxa de retenção de clientes

Para obter a taxa de retenção de clientes basta somar o total de clientes e subtrair o número de clientes que se perdeu num determinado período de tempo. Depois é só dividir o resultado pelo total de clientes. Quanto maior for a retenção, menor é a necessidade de adquirir novos clientes e maior será a probabilidade de gerar novas vendas para a mesma carteira de negócios.

Taxa de abertura de e-mail marketing

O e-mail marketing é um dos meios que as empresas mais utilizam para comunicar com os seus clientes atuais e potenciais. Esta taxa mede a percentagem de pessoas que abriu um e-mail enviado. Se a taxa for muito reduzida, está na hora da empresa pensar em alterar a sua estratégia, modificando os seus títulos e usando call to actions, por exemplo.

Número de propostas apresentadas

O número de propostas apresentadas é importante para percebermos quantos potenciais clientes manifestaram realmente interesse em comprar algo na nossa empresa. O número de propostas apresentadas tem que ter sempre como base o número total de contactos feitos.

Origem do tráfego

Indicador que revela a origem de uma visita ao website. É um indicador importante para percebermos que estratégias de social media estão a funcionar melhor, se a newsletter está a gerar visitas ou se as campanhas pagas estão a trazer retorno. Saber em que plataformas estão os nossos clientes e potenciais clientes é um importante guia para toda a nossa ação.

Taxa de rejeição

A taxa de rejeição mostra-nos a percentagem de visitantes que estiveram apenas numa página do seu site. Quanto maior for esta taxa, pior será o seu desempenho, pois significa que houve muitos visitantes a desistir rapidamente de navegar pelo seu site. Isto pode significar que o seu site está pouco apelativo ou que tem informação pouco relevante. Sempre que este valor for muito alto, deve investir tempo em melhorar o website. Caso contrário poderá perder muitas oportunidades de negócio.

Custo por lead

Este valor mostra-nos quanto custa à empresa adquirir uma lead. Obtemos este valor após dividir a quantidade de dinheiro investida no marketing pelo número de leads gerados. Estudos referem que o custo por lead gerado através do marketing digital é cerca de 61% mais baixo do que as leads geradas pelo marketing tradicional. Saber quanto nos custa gerar uma lead é essencial para que possamos redistribuir os investimentos e melhorar os resultados.

Visitas geradas pelas redes sociais

Se a sua empresa aposta na comunicação através das redes sociais, deve medir sempre o impacto que isso tem para o seu website e para o seu negócio. Não adianta colocar bom material nos perfis da empresa se depois isso não se traduz em visitas e em vendas. Semanalmente, deve medir quantas visitas teve a partir de cada rede social e deve investir mais naquelas que mais visitas geram. Se uma rede social não gera continuamente qualquer visita, deve ponderar se vale a pena continuar a investir nessa rede.

ROI

ROI significa return on investment e mede o resultado final de um investimento: relaciona todas as despesas envolvidas numa ação com os lucros obtidos graças a essa mesma ação. A fórmula para o cálculo do ROI é a seguinte: ROI = Lucro Líquido (Lucro total gerado pelo Investimento – Custo do total Investimento) / Custo do Investimento. Se o ROI for superior a zero, significa que o investimento foi positivo para a empresa. Se tiver valores negativos, houve prejuízo. É um dos indicadores mais importantes na área de marketing pois deve haver sempre uma avaliação de todas as ações efetuadas.

Taxa de conversão

Ter muitas visitas no website é muito importante e significa que o mesmo está com um bom desempenho e aparece nos motores de busca. Contudo, não basta que o visitante navegue pelo site e saia sem deixar um contacto ou sem comprar alguma coisa. A taxa de conversão relaciona o número de visitantes ao website com o número de visitantes que efetivam uma compra. É um indicador muito importante pois permite-nos perceber se o nosso site está realmente apelativo e se incentiva de modo claro à compra.

Os 7 mandamentos para garantir a satisfação do cliente

Os 7 mandamentos para garantir a satisfação do cliente

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Satisfazer o cliente é o objetivo de todas as empresas. Os clientes são o público externo mais importante e é a satisfação deles (ou a falta dela) que vai ditar o sucesso ou insucesso do negócio. Um cliente satisfeito pode tornar-se num cliente fiel à sua marca, por isso é essencial que consiga satisfazer as necessidades de cada cliente. No artigo de hoje, apresentamos os 7 mandamentos para garantir a satisfação do cliente!

Atendimento de excelência

Tenha um bom relacionamento com o cliente na hora do atendimento. Esteja atento às necessidades dele e, se possível, antecipe-as, oferecendo soluções. É importante que não utilize uma fórmula de atendimento standard, pois isso vai soar a falso e vai passar a mensagem de que trata todos os clientes de igual modo. Os clientes gostam de se sentir únicos e especiais e deve refletir isso no seu atendimento!

Serviço pós-venda

A venda não se extingue no momento em que a compra é efetuada. Deve haver um acompanhamento após o momento da venda, para saber se está tudo bem com o produto ou serviço e para se disponibilizar para encontrar outras soluções para outras possíveis necessidades do cliente. O serviço pós-venda é especialmente importante na área B2B.

Oferecer condições especiais

Muitas empresas, para cativarem novos clientes, oferecem condições especiais a quem ainda não tem qualquer ligação com a marca. Isso faz com que os atuais se sintam penalizados. Na verdade, a pessoa que já mantém connosco algum tipo de relação deve ser o beneficiado, e não o contrário! Oferecer preços especiais e ofertas específicas a clientes é uma ótima forma de conseguir que o cliente se mantenha fiel durante muito tempo.

Ofereça soluções

Os consumidores atuais são muito informados e muito exigentes. Eles já não procuram um produto, mas sim uma solução que resolva completamente os seus problemas. Na hora de apresentar os seus produtos ou serviços foque-se no problema que eles resolvem. Deste modo, será muito mais fácil cativar a sua atenção e conseguir que ele compre.

Planeie o seu trabalho

O contacto com os clientes e potenciais clientes deve ser bem planeado, para saber com exatidão o momento em que deve abordar o cliente. Por exemplo, deve sempre fazer um follow up após a apresentação de um produto ou serviço, para saber se o cliente ficou com alguma dúvida. No entanto, este follow up não deve fazer com que o cliente se sinta pressionado. Deve dar tempo para a pessoa pensar e decidir se o seu produto/Serviço é efetivamente o melhor para colmatar a sua necessidade.

Facilite o contacto

Como já referimos, os consumidores atuais são muito exigentes e é preciso estar sempre a par das suas necessidades e vontades para conseguir conquistá-los. Num mundo dominado pela Internet e pelas redes sociais, as marcas que permitem o contacto através destes meios saem beneficiadas. Permita que o seu cliente o contacte através do Facebook, por exemplo. Pode também colocar um formulário de contacto no seu website.

Seja honesto

Parece um conselho muito básico, mas na área das vendas ainda encontramos muitos profissionais com um discurso pouco realista sobre o produto. É importante que não exagere as qualidades do que tem para oferecer, pois isso pode soar a falso para o cliente e passa uma imagem negativa sobre o vendedor. Deve ser sempre honesto para o cliente e não deve ter problemas em dizer que não sabe algo sobre o produto, desde que se disponibilize a aprender e a informar rapidamente sobre a questão.

Máquinas vs Humanos: inimigos ou bons aliados?

Máquinas vs Humanos: inimigos ou bons aliados?

Posted Leave a commentPosted in Tecnologia e Gestão

O atendimento ao cliente está cada vez mais automatizado. Isso acontece devido à crescente exigência dos consumidores, que procuram respostas cada vez mais rápidas e eficientes. O mundo empresarial, nos próximos anos, terá uma maior dependência das máquinas e isso faz com que muitas pessoas olhem para elas com desconfiança e medo. Mas será que máquinas e humanos são inimigos ou podem ser bons aliados?

Máquinas vs Humanos

Um estudo realizado pela Gartner concluiu que até 2020, 85% das vezes que os consumidores se vão relacionar com as empresas será sem qualquer intervenção humana. Contudo, não devemos pensar que as máquinas vão dominar o mundo e acabar com a interação humana. Na verdade, o que este dado significa é que os seres humanos passarão a ter cada vez mais controlo sobre a tecnologia, usando-a de uma maneira mais inteligente e libertando os colaboradores das tarefas burocráticas e repetitivas.

O que muda nos principais setores

Medicina

Nos Estados Unidos, 98% das cirurgias à próstata são feitas com ajuda de robots. Podemos dizer que os computadores tornam o trabalho dos profissionais de saúde mais eficiente, diminuindo a duração das cirurgias e reduzindo drasticamente o risco de erro. Estima-se que em 2018 a área de tecnologia em saúde criará 35 000 novos empregos.

Educação

As aulas à distância são já uma realidade em muitos países. Atualmente, existem professores-robots que são capazes de dar aulas e corrigir testes. Existem mil robots deste tipo em todo o Mundo. Os alunos exigem que a educação esteja adaptada à realidade que eles conhecem e essa realidade é tecnológica. Assim, o ensino à distância será cada vez mais a forma preferencial de aprender.

Bancos

A influência das máquinas no setor da Banca relaciona-se sobretudo com a possibilidade de cada utilizador poder aceder à sua conta em qualquer lugar do Mundo. Em 2012 houve uma queda de 84% na criação de empregos no setor bancário em relação ao ano anterior. A tecnologia de facto diminuiu a necessidade de profissionais, como os operadores de caixa. Por outro lado, aumentou a necessidade de profissionais de TI.

Agropecuária

Este é um dos setores mais afetados pela entrada das novas tecnologias. No campo, aas máquinas para irrigação e colheita aumentam muito a produtividade. A substituição de homens por máquinas neste setor é uma realidade. Contudo, também aqui é necessária a existência de bons profissionais de TI, o que prova que se por um lado as máquinas substituem o trabalho humano, por outro criam novas necessidades.

Marketing e vendas

O fácil acesso à Internet e o uso cada vez maior das redes sociais mudaram o modo como as pessoas encaram o consumo. A nível de vendas, é cada vez mais fácil consumir. As pessoas conseguem comprar produtos de todo o Mundo a partir de um telemóvel. A experiência do utilizador tem evoluído muito neste setor, pois agora é possível as pessoas “experimentarem” roupa à distância, para perceberem se gostam de uma peça ou não. A nível do marketing, a automatização permite que as campanhas promocionais sejam cada vez mais direcionadas às necessidades específicas de cada cidadão, o que melhora bastante a sua experiência.

 

Máquinas e humanos não têm que ser inimigos. Na verdade, quando a tecnologia é bem utilizada, quem sai a ganhar é o Homem. O mundo tem evoluído a um ritmo alucinante e os cidadãos precisam de se manterem atualizados para não correrem o risco de perderem os seus empregos!

Os principais erros a evitar na criação de uma empresa

Os principais erros a evitar na criação de uma empresa

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Abrir um negócio próprio é um objetivo para muitas pessoas, mas é preciso ter em conta que ter uma empresa exige dedicação, planeamento e enfrentar desafios constantes. A tentação de criar o próprio negócio é grande, pois hoje em dia é cada vez mais fácil devido às ferramentas simples que ajudam os empreendedores a colocar as suas ideias no terreno. No artigo de hoje, vamos falar sobre os principais erros a evitar na criação de uma empresa!

Não conhecer bem o mercado onde pretende atuar

Muitas vezes os empreendedores estão tão convictos de que a sua ideia é perfeita que não fazem um estudo exaustivo do mercado para avaliar a concorrência nem para perceber se os consumidores de facto precisam do produto ou serviço que querem vender. Por muito boa que a ideia de negócio seja, se não houver uma necessidade de nada adianta partir para a criação de uma empresa. Assim, estudar bem o mercado de modo a conhecer todas as suas particularidades é essencial para ter uma empresa de sucesso a curto e longo prazo.

Pensar que pode fazer tudo sozinho

Mesmo que pense que é capaz de fazer tudo sozinho, aconselha-se que se rodeie de uma equipa de confiança. O negócio pode crescer mais rápido do que pensa e precisará de apoio para responder a todas as solicitações. Do mesmo modo, caso as coisas não corram tão bem, é melhor ter uma equipa que o ajude a enfrentar as dificuldades pois se estiver sozinho poderá sentir-se desmotivado e desistir em pouco tempo.

Investimento demasiado alto

Mesmo que tenha estudado o mercado e todas as previsões sejam de que o seu negócio terá sucesso em pouco tempo, não deve investir mais do que o estritamente necessário numa fase inicial. Os custos adicionais devem ser reduzidos o máximo possível e os investimentos devem ser feitos de acordo com a evolução comercial do produto e não com base em previsões de lucros futuros. Os investimentos muito altos numa fase embrionária do projeto são das principais causas de falência dos negócios num período curto após a criação de uma empresa.

Não investir na comunicação desde o primeiro momento

Muitos empreendedores pensam que a comunicação só é importante a partir do momento em que a empresa começa a crescer. Contudo, esta é uma área da empresa a que deve dedicar atenção desde o início, pois é essencial que o mercado saiba que chegou e que está ali para vencer. Tenha especial atenção ao nome da sua marca e ao logótipo que a ilustra pois são os primeiros elementos que contactam com o público e devem ser coerentes e diferenciadores. Ter um bom website e uma presença forte nas redes sociais é imprescindível nos dias que correm e deve investir tempo a trabalhar estas áreas.

Falta de segmentação do mercado

Comunicar para toda a gente, de forma indiferenciada, é um erro que não deve praticar, sobretudo porque o consumidor atual é cada vez mais informado e exigente. Abrir uma empresa sem saber qual é o seu público-alvo e sem conhecer as suas principais características e necessidades poderá ser uma autêntica perda de tempo. Por muito bom que o seu negócio seja, nem todos vão precisar dele, por isso vai estar a gastar recursos a comunicar com pessoas que não precisam do seu produto ou serviço. Assim, deve segmentar o seu público-alvo de acordo com as suas características principais, para que possa comunicar de forma personalizada com cada tipo de pessoa. Deste modo, será mais fácil atingir pessoas que efetivamente precisam de si!

Dica extra: Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio. Faça download do nosso e-book e saiba como uma ferramenta BAM o pode ajudar a gerir!

5 Dicas essenciais para conquistar clientes em 2018

5 Dicas essenciais para conquistar clientes em 2018

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Conquistar clientes é um objetivo obrigatório todos os anos e em todos os negócios. Numa época em que existe tanta informação oriunda dos mais diversos canais, torna-se complicado captar a atenção do público-alvo, pelo que é imprescindível utilizar as melhores técnicas para conseguir conquistar novos clientes. Sabemos que cada negócio tem as suas especificidades, mas existem truques transversais a todas as áreas e no artigo de hoje apresentamos as 5 dicas essenciais para conquistar clientes em 2018.

Conheça o seu público-alvo

Mais do que nunca, é essencial que conheça bem o seu público-alvo. O consumidor atual é muito exigente, pelo que se torna cada vez mais difícil agradá-lo. Assim, deve recolher o máximo de informação possível sobre ele: preferências, redes sociais que utiliza, meios de comunicação que prefere, entre outros aspetos que sejam relevantes para o seu negócio. Os estudos de mercado ganham aqui uma importância muito grande, pois é uma ótima forma de conhecer melhor os desejos e características do público que pretende atingir e desta forma conseguirá conquistar clientes.

Ouça mais e fale menos

Os clientes gostam de falar e de sentir que está atento às suas necessidades e desejos. Muitos vendedores caem no erro de falar demasiado, pois pretendem mostrar, em pouco tempo, todos os benefícios do produto ou serviço que têm para oferecer. Contudo, os consumidores atuais procuram soluções rápidas e irão ficar entediados caso ouçam um discurso estandardizado. Assim, é muito importante que ouça primeiro tudo o que o cliente tem para lhe dizer e que depois apresente as soluções possíveis de uma forma prática e bastante objetiva.

Evite os clichés

Há frases que imediatamente nos remetem para os vendedores insistentes e aborrecidos que apenas querem vender e que não se preocupam com aquilo que realmente precisamos. Mesmo que considere que o seu produto é o melhor do Mundo, deve evitar tentar vendê-lo através desse argumento, pois vai soar a falso e a exagero. Evite também falar mal da concorrência e nunca, mas mesmo nunca, minta ao cliente. Hoje em dia, o consumidor é muito informado e a informação propaga-se a uma velocidade alucinante, pelo que a probabilidade de a sua mentira ser descoberta é muito grande e nesse caso além de não conquistar clientes, corre o risco de perder os atuais!

Acompanhe os resultados

Não basta lançar ações de marketing e campanhas e não monitorizar os seus resultados. É muito importante que defina indicadores e analise todos os resultados das suas ações. Só deste modo é que será capaz de promover uma melhoria contínua, que certamente terá efeito também no número de clientes angariados. O mercado atual é muito dinâmico e deve garantir que o seu produto ou serviço não fica estático.

Use uma estratégia de conteúdo

O marketing digital está cada vez mais presente nas estratégias das empresas e muitas marcas utilizam uma estratégia de conteúdo, em que escrevem artigos e estudos de caso sobre a sua área de atuação. Isso vai fazer com que os potenciais clientes olhem para a empresa como uma entidade de referência e isso vai aumentar a confiança e a probabilidade de optarem pelos seus produtos e serviços.

As melhores dicas para divulgar o seu negócio

As melhores dicas para divulgar o seu negócio

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Conheça os melhores truques para comunicar o seu negócio

Já não é segredo que para conseguir obter sucesso com o seu negócio é necessário investir em comunicação e em formas de divulgação. Numa época em que os canais digitais se multiplicam e em que as formas tradicionais de comunicar parecem estar a desaparecer aos poucos, torna-se difícil decidir em que formas de divulgação apostar. Neste artigo apresentamos-lhe as melhores dicas para divulgar o seu negócio!

Presença online forte

Hoje em dia se um negócio não existir online não existe! Ter um bom website é fundamental para conseguir atrair o seu público-alvo. Atualmente, as pessoas não procuram informações em listas telefónicas: fazem pesquisas no Google. Se ao pesquisarem a sua empresa não aparecer, o mais certo é perder um cliente para a concorrência. Também é muito importante marcar presença nas redes sociais que o seu target prefere. Faça uma pesquisa de mercado e perceba em que plataformas digitais o seu consumidor-alvo passa mais tempo. Depois crie conteúdo relevante e interessante e crie interação com os seus seguidores. Outra vantagem de usar redes sociais é a possibilidade de criar campanhas pagas, onde pode segmentar ao pormenor o público que pretende atingir. As campanhas digitais podem ser mensuradas em tempo real, o que constitui uma vantagem para os profissionais de marketing pois estes podem adaptar rapidamente uma estratégia mal sucedida e evitar um gasto desnecessário de dinheiro.

E-mail marketing

O e-mail ainda é visto com certa desconfiança pelos profissionais de comunicação modernos. No entanto, quando o e-mail marketing é utilizado de forma correta pode fidelizar muitos clientes e levar potenciais clientes a comprar. As campanhas de e-mail marketing não devem focar-se na venda do produto, mas sim com o relacionamento com o cliente, de modo a que ele se sinta importante para a marca. Enviar artigos relacionados com a sua área de negócio e cupões de desconto exclusivos são boas ideias para campanhas de e-mail marketing.

Presença em feiras e eventos

Quem é visto é lembrado e apesar do sucesso da comunicação nos meios digitais é essencial não esquecer que marcar presença em eventos “offline” também é muito importante. Escolha as feiras e os eventos mais importantes do seu setor para estar presente. Distribuir flyers e brindes por potenciais clientes ainda é uma estratégia que resulta muito bem. Estes eventos por norma têm valores de participação muito elevados, pelo que deve analisar muito bem todas as possibilidades e escolher aquelas que lhe poderão trazer um maior retorno.

Produza vídeos

Se o seu produto é visual ou se tem um serviço que requer uma explicação para ser utilizado pelos seus clientes, um vídeo é uma opção muito boa. A comunicação através de vídeos tem ganhado um grande destaque nos últimos meses. Colocar vídeos curtos no Instagram é essencial para criar uma relação mais próxima com os seus clientes. Para vídeos mais complexos e com maior duração, o Youtube é a melhor opção.

Analise e meça resultados

Esta é a última dica e é a mais importante de todas. Não adianta lançar campanhas e criar conteúdo se depois não analisa os resultados das suas ações. Só através de uma análise frequente é que poderá compreender se os seus esforços estão a ter o retorno desejado. Se estiverem, pode continuar com a mesma estratégia. Se não estiver a atingir os resultados esperados deve pensar numa nova estratégia. Só assim é que o seu negócio poderá evoluir.