O guia completo sobre KPI's

O guia completo sobre KPI’s

Posted Leave a commentPosted in Uncategorized

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. As ferramentas BAM como o Multipeers permitem acompanhar os KPI’s de forma contínua e em tempo real. Analisar o desempenho de forma constante garante que se dedique uma maior atenção ao cumprimento dos objetivos, aumentando efetivamente o grau de atingimento dos mesmos. O acompanhamento contínuo do desempenho assume um papel de grande relevância no planeamento e posterior controlo, pois fornece informações sobre processos desenvolvidos pela organização. A eficácia de qualquer estratégia de controlo depende em grande medida da correta adequação das métricas de desempenho desenvolvidas e dos KPI’s. Neste artigo, falaremos sobre tudo o que precisa de saber sobre KPI’s!

Como definir KPI’s?

  • Seja específico: quanto mais específico um objetivo for, mais fácil será encontrar ações para os atingir num curto espaço de tempo. As metas de negócio devem ser simples, pois assim é muito mais fácil geri-las. Um exemplo desta meta é “atualizar o website trimestralmente”, o que é fácil de entender que significa atualizar o website em janeiro, abril, julho e outubro. Uma meta de negócio que diga “aumentar o número de propostas enviadas” é muito vaga e não nos dá qualquer pista sobre o que devemos fazer para atingi-la. Assim, é preferível utilizar uma meta que diga “obter 3 novos clientes por mês”. É uma meta muito mais simples e que nos indica o intervalo temporal.
  • Seja realista e objetivo: todos queremos ser os maiores empresários do Mundo, mas existem obstáculos que nos impendem disso e temos que ter essa consciência. Quando define metas de negócio demasiado altas, o risco de cair é muito maior. E como as metas são mais difíceis de atingir, sentir-se-á frustrado ao perceber que não consegue concretizá-las. Deve estabelecer objetivos realistas e que estejam adequados à realidade do seu negócio. Se não tem uma grande capacidade de investimento no momento, de nada lhe servirá definir como meta de negócio aumentar a equipa em 10 colaboradores.
  • Estabeleça prazos rígidos: quando não existe um prazo limite para o cumprimento de uma determinada tarefa ou de um objetivo, o mais provável é que este arraste no tempo e acabe por ficar esquecido. É essencial que defina uma data limite para conseguir atingir uma determinada meta de negócio, pois só assim conseguirá definir uma linha temporal e atribuir ações necessárias ao longo do tempo. O prazo estabelecido deve ser como o objetivo de negócio: específico e realista.
  • Faça uma revisão regular das metas de negócio: as metas de negócio devem ser revistas com regularidade e devem ser adaptadas conforme as mudanças que se forem verificando na empresa. As metas de negócio a longo prazo devem ser alvo de acompanhamento, para que possa verificar se todas as ações necessárias para o seu cumprimento estão a ser realizadas. As metas de negócio não são estáticas e não é obrigatório que se mantenham imutáveis. Sempre que for necessário, deve alterá-las e atualizá-las e em casos mais extremos, pode mesmo eliminá-las, se verificar que já não se adequam à forma de trabalhar da empresa. Uma meta que ontem era bastante importante, hoje pode ter perdido parte da sua importância. As empresas são organismos vivos e dinâmicos e como tal as mudanças devem ser acompanhadas em todas as áreas da empresa. Avalie pelo menos a cada três meses se os indicadores que tem “ativos” são os mais adequados tendo em conta o período que a empresa atravessa. Contudo, é preciso ter cuidado para não cometer o erro de alterar ou eliminar metas de negócio apenas porque está a ser difícil alcançá-las.

O que os KPI’s podem fazer por uma empresa?

  • Conhecimento claro sobre a estratégia empresarial: é fundamental que cada colaborador da empresa ou organização conheça os seus KPI’s e que estes sejam atualizados com alguma frequência. “Se não soubermos para onde vamos, qualquer caminho serve”: o mesmo se aplica nas empresas. Se não tivermos consciência dos resultados que devemos atingir com o nosso trabalho, poderemos fazer qualquer coisa, e isso possivelmente não estará em linha com os objetivos gerais da organização. Definir os indicadores de cada colaborador e fazer a ligação com o sistema de monitorização é essencial para que se obtenha uma visão global e integrada do estado da empresa e do desempenho de cada um.
  • Permitem avaliar a empresa de forma quantitativa: os KPI’s permitem que se obtenham resultados mensuráveis. E isso é muito importante numa empresa, pois os números não mentem! Não basta ter um conhecimento subjetivo sobre os resultados da empresa. É preciso que conhecer de forma objetiva os verdadeiros valores da organização. Através da análise dos KPI’s é possível redefinir estratégias e alterar o que não está a dar resultados positivos.
  • Aumentam a performance do departamento de vendas: quando são bem definidos e implementados, os KPI’s ajudam a impulsionar as vendas. Quando existem objetivos definidos e recompensas associadas à sua concretização, a tendência é que os colaboradores se esforcem mais ainda para atingir as metas estabelecidas. Cria-se assim uma concorrência saudável entre os diferentes vendedores e no final a empresa sai a ganhar com o aumento das vendas!
  • Tornam a tomada de decisão mais eficiente: os KPI’s fornecem muita informação sobre a empresa e nessa medida tornam a tomada de decisão mais eficiente e mais fácil. Os gestores queixam-se frequentemente da falta de informação sobre a empresa para poderem decidir de forma consciente e estes indicadores de desempenho ganham um papel de destaque no momento de tomar decisões sobre o futuro da empresa. Os gestores só conseguem tomar decisões assertivas e acertadas se tiverem um total conhecimento sobre a realidade empresarial. E nada melhor que KPI’s para fornecer todo esse conhecimento.
  • Melhoram o cumprimento dos objetivos: analisar o desempenho de uma empresa de forma constante garante que se dedique uma maior atenção ao cumprimento dos objetivos. Um processo eficiente deve ser planeado e controlado. O acompanhamento contínuo do desempenho assume um papel de grande relevância no planeamento e posterior controlo, pois fornece informações sobre processos desenvolvidos pela organização. A eficácia de qualquer estratégia de controlo depende em grande medida da correta adequação das métricas de desempenho desenvolvidas e dos KPI’s.

 

Como definir metas de negócio desafiantes e realistas?

Como definir metas de negócio desafiantes e realistas?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Saber definir metas de negócio é o primeiro passo para um caminho de sucesso. Quando temos uma meta definida, é muito mais fácil desenhar uma estratégia e definir que ações são necessárias para conseguirmos atingir os nossos objetivos. Qualquer negócio precisa de metas estabelecidas, pois será com base nelas que toda a atuação da empresa se define. Infelizmente, muitos gestores não compreendem a importância das metas de negócio e começam a trabalhar sem terem um plano traçado. Este é um dos principais motivos pelos quais as empresas muitas vezes não sobrevivem. Os objetivos de negócio fornecem muita informação sobre a empresa e nessa medida tornam a tomada de decisão mais eficiente e mais fácil. Os gestores queixam-se frequentemente da falta de informação sobre a empresa para poderem decidir de forma consciente e estes indicadores de desempenho ganham um papel de destaque no momento de tomar decisões sobre o futuro da empresa. Os gestores só conseguem tomar decisões assertivas e acertadas se tiverem um total conhecimento sobre a realidade empresarial, pelo que é fundamental acompanhar em tempo real o cumprimento dos objetivos. E nada melhor que KPI’s para fornecer todo esse conhecimento. No artigo de hoje, deixamos-lhe algumas dicas importantes para definir metas de negócio desafiantes e realistas!

Seja específico

Quanto mais específico um objetivo for, mais fácil será encontrar ações para os atingir num curto espaço de tempo. As metas de negócio devem ser simples, pois assim é muito mais fácil geri-las. Um exemplo desta meta é “atualizar o website trimestralmente”, o que é fácil de entender que significa atualizar o website em janeiro, abril, julho e outubro. Uma meta de negócio que diga “aumentar o número de propostas enviadas” é muito vaga e não nos dá qualquer pista sobre o que devemos fazer para atingi-la. Assim, é preferível utilizar uma meta que diga “obter 3 novos clientes por mês”. É uma meta muito mais simples e que nos indica o intervalo temporal. As metas de negócio devem ser simples, para que toda a equipa seja capaz de compreendê-los. Se complicar muito corre o risco de não conseguir extrair qualquer informação útil da sua análise. E se os colaboradores não entenderem o indicador podem ficar desmotivados, o que prejudica todo o desempenho da empresa.

Seja realista e objetivo

Todos queremos ser os maiores empresários do Mundo, mas existem obstáculos que nos impendem disso e temos que ter essa consciência. Quando define metas de negócio demasiado altas, o risco de cair é muito maior. E como as metas são mais difíceis de atingir, sentir-se-á frustrado ao perceber que não consegue concretizá-las. Deve estabelecer objetivos realistas e que estejam adequados à realidade do seu negócio. Se não tem uma grande capacidade de investimento no momento, de nada lhe servirá definir como meta de negócio aumentar a equipa em 10 colaboradores. As metas de negócio devem ser estabelecidas de acordo com a realidade da empresa no momento, pois só assim será capaz de as alcançar.

Estabeleça prazos rígidos

Quando não existe um prazo limite para o cumprimento de uma determinada tarefa ou de um objetivo, o mais provável é que este arraste no tempo e acabe por ficar esquecido. É essencial que defina uma data limite para conseguir atingir uma determinada meta de negócio, pois só assim conseguirá definir uma linha temporal e atribuir ações necessárias ao longo do tempo. O prazo estabelecido deve ser como o objetivo de negócio: específico e realista. Não deve definir um prazo demasiado curto nem demasiado longo, pois ambos os casos poderão causar desmotivação por parte das pessoas responsáveis pelo cumprimento do objetivo.

Faça uma revisão regular das metas de negócio

As metas de negócio devem ser revistas com regularidade e devem ser adaptadas conforme as mudanças que se forem verificando na empresa. As metas de negócio a longo prazo devem ser alvo de acompanhamento, para que possa verificar se todas as ações necessárias para o seu cumprimento estão a ser realizadas. As metas de negócio não são estáticas e não é obrigatório que se mantenham imutáveis. Sempre que for necessário, deve alterá-las e atualizá-las e em casos mais extremos, pode mesmo eliminá-las, se verificar que já não se adequam à forma de trabalhar da empresa. Uma meta que ontem era bastante importante, hoje pode ter perdido parte da sua importância. As empresas são organismos vivos e dinâmicos e como tal as mudanças devem ser acompanhadas em todas as áreas da empresa. Avalie pelo menos a cada três meses se os indicadores que tem “ativos” são os mais adequados tendo em conta o período que a empresa atravessa. Contudo, é preciso ter cuidado para não cometer o erro de alterar ou eliminar metas de negócio apenas porque está a ser difícil alcançá-las.

Que dashboards não podem faltar na sua empresa?

Que dashboards não podem faltar na sua empresa?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Um dashboard é um painel de controlo que apresenta de forma visual as informações mais importantes sobre o negócio. No caso de utilizar uma ferramenta como o Multipeers, a informação é atualizada permanente e automaticamente, de modo a que tenha ao seu dispor as informações mais atuais sobre tudo aquilo que se passa na empresa. Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos. Relacionar os KPI’s com as atividades do dia-a-dia é essencial para que os objetivos individuais e globais sejam alcançados de forma mais simples. No artigo de hoje, deixamos-lhe 5 dashboards que não podem faltar na sua empresa!

Dashboard executivo

Um dashboard executivo agrupa informações imprescindíveis para a tomada de decisão. É um painel que usa recursos gráficos para simplificar a compreensão geral da informação. É um dashboard muito útil para analisar os KPI’s e todos os processos de uma empresa. Esta ferramenta executiva por norma baseia-se em metodologias de gestão, como o Balance Scorecard. O objetivo deste painel é dotar todos os executivos com o acesso a dados importantes para a avaliação correta de novas oportunidades e de pontos de melhoria.

Dashboard operacional

Este painel é utilizado pelas equipas de trabalho e foca-se nos processos que cada equipa necessita para desempenhar as suas funções. Os dados que constam deste painel visam identificar pontos críticos da operação, auxiliando a sua correção. Facilitam ainda a comunicação entre todos os membros de uma mesma equipa.

Dashboard analítico

Este painel oferece informações detalhadas e utiliza-se para definir tendências em relação aos objetivos corporativos. Este painel permite que seja possível perceber os resultados de ações internas, bem como reações do público externo relativamente a campanhas. Um bom exemplo deste tipo de dashboard é o Google Analytics.

Dashboard de gestão de projetos

Os dashboards de gestão de projetos permite acompanhar toda a gestão do projeto, desde atividades previstas, cronogramas, entre outros aspetos. É uma ferramenta muito importante porque diminui a probabilidade de errar e aumenta a eficácia da comunicação.

 

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. Os dashboards juntam o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o sistema é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério!

 

As melhores práticas para a definição de KPI's

As melhores práticas para a definição de KPI’s

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Ter KPI’s definidos é essencial para o bom desempenho de uma empresa. Os KPI’s são os indicadores-chave de desempenho que nos indicam em que estado o negócio se encontra e quão longe (ou perto) estamos de cumprir os objetivos estabelecidos. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e informadas. Contudo, os KPI’s só se revelam úteis se forem definidos da forma correta. No artigo de hoje, vamos abordar as melhores práticas para a definição de KPI’s.

Defina indicadores mensuráveis

Para que um indicador seja bem definido é necessário que seja possível medi-lo facilmente, ou seja, deve optar sempre por indicadores quantitativos e não qualitativos. No caso dos indicadores qualitativos, existe uma grande probabilidade de haver uma avaliação subjetiva. Por exemplo, em vez de ter como objetivo melhorar as vendas, estabeleça um indicador sobre a taxa de conversão em vendas.

Não complique

Os KPI’s devem ser simples, para que toda a equipa seja capaz de compreendê-los. Se complicar muito um KPI corre o risco de não conseguir extrair qualquer informação útil da sua análise. E se os colaboradores não entenderem o indicador podem ficar desmotivados, o que prejudica todo o desempenho da empresa.

Defina indicadores adequados à realidade do negócio

Nem todos os indicadores servem para todas as empresas. Há indicadores que se adequam a um tipo de negócio, mas que não fazem qualquer sentido noutras áreas de atividade. Definir indicadores apenas por definir vai criar ruído prejudicial à performance dos colaboradores e isso terá um impacto negativo nos resultados finais da empresa.

Avalie os KPI’s com frequência

Um KPI deve ser analisado com frequência pois só com um acompanhamento constante é que é possível entender se estamos a caminhar na direção certa ou não. Deve optar sempre por indicadores que podem ser medidos facilmente e de forma frequente, para que possa tomar decisões no dia-a-dia com base em informação fiável e atualizada.

Torne os indicadores dinâmicos

Um indicador que ontem era bastante importante, hoje pode ter perdido parte da sua importância. As empresas são organismos vivos e dinâmicos e como tal as mudanças devem ser acompanhadas em todas as áreas da empresa. Avalie pelo menos a cada três meses se os indicadores que tem “ativos” são os mais adequados tendo em conta o período que a empresa atravessa.

Definir indicadores de desempenho é essencial para que consiga obter sucesso no seu negócio. Trabalhar sem saber para que lado o negócio está a ir é o primeiro passo para o fracasso. É fundamental que tenha a consciência de que definir indicadores é um trabalho que merece a sua atenção e dedicação, pois só desta forma conseguirá envolver toda a equipa de trabalho na prossecução dos objetivos empresariais globais!

7 Erros financeiros que prejudicam a sua empresa

7 Erros financeiros que prejudicam a sua empresa

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Errar é humano e é muito provável que um gestor, ao longo da sua carreira, cometa alguns erros. Contudo, existem erros financeiros que podem ser muito prejudiciais para a gestão de uma empresa e que podem até levar um negócio ao fracasso. No artigo de hoje abordamos os 7 erros financeiros que prejudicam a sua empresa!

Falta de análise constante

É essencial nos dias de hoje analisar continuamente o seu negócio, pois só assim conseguirá encontrar problemas antes que estes se materializem. Os gestores não podem sobreviver mais apenas com folhas de Excel e com relatórios com alguns dias. É fundamental que o negócio seja analisado ao minuto, pois só desta forma será capaz de estar sempre à frente da concorrência. Softwares de monitorização do negócio como o Multipeers são uma necessidade crescente nas empresas atualmente, pois permitem analisar de uma forma simples tudo aquilo que se passa agora com o seu negócio.

Gastar o que (ainda) não se tem

Contrair uma dívida com dinheiro que ainda não entrou em caixa é um erro muito comum e que deve ser evitado ao máximo. Não há garantias de que o cliente não irá atrasar-se no pagamento ou se vai acontecer um imprevisto e será necessário investir em algo mais urgente.

Não fazer um balanço patrimonial

À medida que as empresas crescem, vários investimentos são feitos e o património da empresa vai crescendo ao longo do tempo. Contudo, muitas vezes não existe preocupação em saber o que se possui num determinado momento, acabando por continuar a investir-se de forma desordenada. Ter conhecimento do balanço patrimonial ajuda a empresa a saber se precisa de continuar a investir ou se, pelo contrário, deve reduzir os seus investimentos.

Falta de automatização

Realizar tarefas manualmente que poderiam ser automatizadas é um erro muito frequente. A utilização de um ERP ajuda a otimizar todos os processos, reduzindo os custos e aumentando a produtividade através da diminuição de erros humanos. As informações de uma empresa devem estar integradas, de modo a que todos os dados estejam atualizados para que seja mais fácil tomar decisões.

Não ter KPI’s

A área financeira é uma das mais relevantes em qualquer negócio e o uso de indicadores torna-se imprescindível. O uso de indicadores de negócio permite-lhe medir o resultado e verificar se os objetivos estabelecidos estão a ser cumpridos. Trabalhar sem indicadores é como estar perdido num labirinto complexo sem um mapa para o orientar.

Misturar despesas pessoais com despesas da empresa

É um dos erros financeiros mais comuns entre os empresários, que costumam utilizar a conta da empresa para pagar despesas pessoais. Este erro é muito prejudicial para as empresas, visto que altera completamente os custos fixos da organização e distorce a sua realidade financeira.

Focar apenas nas vendas

As vendas são o objetivo final de todos os negócios, mas se não tiver atenção às outras áreas do negócio, poderá comprometer toda a sua atividade. Uma gestão administrativa e de recursos humanos são exemplos de áreas que merecem ser tratadas com todo o cuidado. A boa gestão de todos os departamentos de uma empresa vai refletir-se nos resultados financeiros a médio e longo prazo.

5 Dicas essenciais para tornar a sua empresa mais produtiva

5 Dicas essenciais para tornar a sua empresa mais produtiva

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Ano novo, vida nova! Se em 2018 tem como objetivo tornar a sua empresa mais produtiva, deve continuar a ler este artigo.

Ao longo dos anos, a forma como trabalhamos mudou muito, sobretudo devido à tecnologia. Contudo, cada vez mais somos “bombardeados” com pedidos constantes, que interrompem continuamente o nosso ritmo de trabalho e diminuem a nossa produtividade. No artigo de hoje, deixamos-lhe 5 dicas essenciais para tornar a sua empresa mais produtiva no novo ano!

Centrar a informação

Um dos principais problemas das empresas e sobretudo dos decisores é ter a informação espalhada por diversos softwares. Isto faz com que se consuma muito tempo a encontrar os dados necessários, o que atrasa as decisões operacionais e prejudica o bom funcionamento das empresas e torna a sua atividade menos produtiva. Softwares como o Multipeers permitem centralizar numa só plataforma toda a informação oriunda dos diversos sistemas da empresa, mostrando-a de uma forma graficamente limpa e interativa, que contribui para decisões mais acertas, pois toda a informação pode ser consultada em tempo real.

Delegar tarefas

Nem sempre é fácil os gestores conseguirem delegar tarefas importantes à sua equipa, mas sem darem conta este é dos principais problemas de produtividade. Ninguém é um super herói para conseguir carregar a empresa às costas, pelo que saber confiar na equipa é fundamental para se poder dedicar a tarefas que realmente não podem ser feitas por mais ninguém. Rodear-se de profissionais qualificados e responsáveis vai ajudá-lo a saber delegar algumas tarefas.

Definição de metas diárias

Todos temos objetivos mensais e anuais a cumprir, mas se pensarmos de forma muito genérica não vamos ser capazes de realizar diariamente as tarefas que contribuirão para esse cumprimento de objetivos. É essencial estabelecer metas diárias para que a sua empresa seja mais produtiva. Deve ser realista nos objetivos que define para o seu dia, pois caso contrário não será capaz de cumprir todas as tarefas e isso levá-lo-á a um sentimento de frustração.

Estabeleça horários para consultar o e-mail

A constante chegada de e-mails desvia-nos da tarefa que estamos a realizar no momento e torna a nossa performance menos produtiva. Deve desligar as notificações de chegada de e-mail no seu Desktop e estabelecer (e cumprir) horários de consulta e resposta a e-mails. Desta forma, o seu dia-a-dia será muito mais organizado e conseguirá maiores níveis de produtividade.

Reúna apenas se for imprescindível

A maior parte das empresas vive numa cultura de reuniões. Todo e qualquer assunto é discutido em torno de uma mesa de reuniões e dificilmente o horário e plano estabelecido são realmente cumpridos. Está provado que a maior parte dos assuntos discutidos nas reuniões empresariais poderiam ser facilmente solucionados através do envio de e-mail ou de uma chamada telefónica. Deste modo, deve reunir apenas se o assunto for delicado e exigir a contribuição de diversos elementos da sua equipa. Caso contrário, pode optar por conversas rápidas e em pé, de modo a que os colaboradores percebam que será uma “reunião” rápida e se foquem realmente no assunto a resolver.