Qual o impacto da tecnologia na gestão de empresas?

Qual o impacto da tecnologia na gestão de empresas?

Posted Leave a commentPosted in Tecnologia e Gestão

A tecnologia faz parte do nosso dia-a-dia, tanto na vida pessoal como na vida profissional. Já não conseguimos viver sem aceder à Internet e sem um telemóvel, pelo que cada vez mais a tecnologia assume um papel de destaque na nossa rotina. Nas empresas isto também se verifica, visto que em muitas áreas praticamente todo o trabalho gira em torno da rede. A tecnologia tem um impacto significativo nas organizações, permitindo melhorar processos e alcançar melhores resultados. No artigo de hoje, vamos perceber qual o impacto da tecnologia na gestão de empresas!

Redução de custos

Uma gestão de recursos mais eficiente permite reduzir significativamente os custos. A utilização da tecnologia é um grande aliado de uma boa gestão. Por exemplo, softwares como o Multipeers permitem acompanhar em tempo real tudo aquilo que se passa na empresa, dando uma visão global e atualizada sobre cada gasto e cada ganho. Deste modo, é possível tomar decisões imediatas e conscientes que irão beneficiar o negócio. Este acompanhamento contínuo, permite orientar os investimentos da empresa, evitando perdas desnecessárias. Também a utilização de soluções na Cloud permite reduzir custos com a manutenção dos equipamentos.

Melhor comunicação com os stakeholders

A tecnologia tem um forte impacto no relacionamento com os diversos públicos com os quais a empresa comunica. Hoje em dia, além dos meios convencionais de comunicação como telefone e e-mail, as empresas podem e devem comunicar com os seus públicos através de redes sociais e Whatsapp. A utilização de chatbots permite uma maior rapidez na resposta aos clientes e isso é uma grande vantagem competitiva no mundo empresarial atual, visto que o consumidor está cada vez mais exigente no que diz respeito à satisfação das suas necessidades.

Maior controlo sobre as operações e processos

Automatizar os processos de compras de uma empresa através da tecnologia garante que todas as ações realizadas estão em conformidade com as normas estabelecidas. Todas as ações feitas relacionadas com as compras devem ser introduzidas em ambiente digital para que seja possível consultar o seu histórico sempre que haja a necessidade de saber o que se passou com determinada compra. Espera-se que em 2020 o RPA tenha uma presença cada vez maior nas empresas, permitindo automatizar este tipo de processos e eliminar a burocracia e a probabilidade de errar.

Otimização das reuniões de trabalho

As reuniões são muitas vezes mais demoradas do que aquilo que era necessário, o que faz com que se perca muito tempo. Felizmente, existem softwares que permitem planear as reuniões, para que elas não durem mais do que o estritamente necessário. Do mesmo modo, é possível fazer reuniões através do Skype e de outros programas semelhantes, o que elimina a necessidade de todos estarem presentes fisicamente, reduzindo os gastos com a viagem.

7 KPI's que todas as empresas devem ter

7 KPI’s que todas as empresas devem ter

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os KPI’s são elementos fundamentais para o bom funcionamento de uma empresa. Eles permitem perceber em que ponto dos nossos objetivos nos encontramos e orientam a nossa direção para que a empresa atinja bons resultados. Apesar de cada empresa ter a sua própria realidade, existem KPI’s comuns a todas as áreas. No artigo de hoje, apresentamos os 7 KPI’s que todas as empresas devem ter.

Número de propostas apresentadas

O número de propostas apresentadas é importante para percebermos quantos potenciais clientes manifestaram realmente interesse em comprar algo na nossa empresa. O número de propostas apresentadas tem que ter sempre como base o número total de contactos feitos.

ROI

ROI significa return on investment e é o retorno do investimento feito. Este valor é o resultado adquirido com o investimento feito. É um KPI muito importante para manter a saúde financeira da empresa.

Market Share

O market share significa a participação de uma empresa no mercado em que se encontra. Este valor pode ser encontrado através de medição de faturação, quantidade de clientes, entre outros.

Custo por Lead

Este é um valor bastante utilizado no mundo digital, que cada vez mais ganha peso no mundo dos negócios. O custo por lead é composto pela soma dos gastos com ações de marketing divididos pelos leads gerados através destas ações.

Desempenho das aplicações

Esta é uma das métricas de TI mais importantes, sendo para o efeito necessário fazer uso de ferramentas de monitorização constante que avaliam o desempenho das aplicações na ótica do utilizador final. Cada vez mais as empresas confiam a gestão dos seus ativos informáticos a empresas especializadas que garantem segurança, alto desempenho e disponibilidade permanente.

Tempo médio offline

Este KPI é usado para analisar o tempo médio que um dispositivo de TI ou infra-estrutura não esteve disponível É uma métrica conhecida por MDT (mean down time). Essa métrica indica-nos todo o tempo que o serviço não esteve disponível, seja por causa de problemas leves, avarias, entre outros. Este valor é obtido através da soma do tempo que o sistema não estava disponível para dividir pelo número de ocorrências nesse período.

Custo médio por colaborador

Este indicador mostra-nos quanto nos custa, em média, cada colaborador da empresa. É obtido após somar todas as despesas com o pessoal (salário, subsídio de alimentação, subsídios de férias e de Natal, contribuições para o Estado, entre outras despesas) e dividir pelo número total de colaboradores da empresa.

Entenda a importância da gestão de indicadores

Entenda a importância da gestão de indicadores

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os indicadores são fundamentais para o bom desempenho de uma empresa. São os indicadores, ou KPI’s, que nos indicam em que estado o negócio se encontra e se estamos realmente a cumprir os objetivos previamente estabelecidos. Com base nos indicadores de desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. As ferramentas BAM como o Multipeers permitem acompanhar os KPI’s de forma contínua e em tempo real, o que permite ter uma maior atenção relativamente ao cumprimento dos objetivos, aumentando efetivamente o grau de sucesso da empresa. Vamos entender no artigo de hoje qual a importância da gestão de indicadores das empresas!

Estratégia da empresa conhecida por todos

“Se não soubermos para onde vamos, qualquer caminho serve”, pelo que é muito importante que as empresas saibam para onde vão e que cada colaborador conheça o trabalho que deve desempenhar. Se não tivermos consciência dos resultados que devemos atingir com o nosso trabalho, poderemos fazer qualquer coisa, e isso possivelmente não estará em linha com os objetivos gerais da organização. Definir os indicadores de cada colaborador e fazer a ligação com o sistema de monitorização é essencial para que se obtenha uma visão global e integrada do estado da empresa e do desempenho de cada um.

Tomada de decisão mais acertada

Os indicadores dão-nos muita informação sobre a empresa e nessa medida tornam a tomada de decisão muito mais eficiente. Os gestores queixam-se frequentemente da falta de informação sobre a empresa para poderem decidir de forma consciente e estes indicadores de desempenho ganham um papel de destaque no momento de tomar decisões sobre o futuro da empresa. Os gestores só conseguem tomar decisões assertivas e acertadas se tiverem um total conhecimento sobre a realidade empresarial. E nada melhor que indicadores de gestão atualizados e adequados à realidade da empresa.

Dão-nos números reais sobre o estado da empresa

Os indicadores permitem que se obtenham resultados mensuráveis. E isso é muito importante numa empresa, pois os números não mentem e ajudam-nos a perceber onde erramos e onde acertamos. Não basta ter um conhecimento subjetivo sobre os resultados da empresa: é preciso conhecer de forma objetiva os verdadeiros valores da organização. Através da análise dos KPI’s é possível redefinir estratégias e alterar o que não está a dar resultados positivos.

Aumentam as vendas e melhoram o desempenho geral da empresa

Quando são bem definidos e implementados, os indicadores de gestão ajudam a impulsionar as vendas. Quando existem objetivos definidos e recompensas associadas à sua concretização, a tendência é que os colaboradores se esforcem mais ainda para atingir as metas estabelecidas. Cria-se assim uma concorrência saudável entre os diferentes vendedores e no final a empresa sai a ganhar com o aumento das vendas.

 

5 Dicas para definir bons indicadores de desempenho para o seu negócio

5 Dicas para definir bons indicadores de desempenho para o seu negócio

Posted Leave a commentPosted in Definição de métricas de negócio

Os indicadores de desempenho do negócio, ou KPI’s, são uma ferramenta imprescindível para garantir que o seu negócio está a caminhar na direção correta. Com base nos indicadores e no desempenho da empresa, os gestores podem tomar decisões mais assertivas e mais informadas. No artigo de hoje, apresentamos 5 dicas para definir bons indicadores de desempenho para o seu negócio!

Simplifique os indicadores

Os KPI’s devem ser simples, para que toda a equipa seja capaz de compreendê-los. Se complicar muito um KPI corre o risco de não conseguir extrair qualquer informação útil da sua análise pois não será entendível por parte da sua equipa. E se os colaboradores não entenderem o indicador podem ficar desmotivados, o que prejudica todo o desempenho da empresa.

Defina indicadores possíveis de avaliar

Para que um indicador seja bem definido é necessário que seja possível medi-lo de forma simples ou rápida, isto é, deve optar sempre por indicadores quantitativos e não qualitativos. No caso dos indicadores qualitativos, existe uma grande probabilidade de haver uma avaliação subjetiva. Por exemplo, em vez de ter como objetivo melhorar as vendas, estabeleça um indicador sobre a taxa de conversão em vendas com um intervalo de valores definido. Será mais fácil perceber se o objetivo do indicador está a ser alcançado.

Faça uma análise exaustiva antes de definir indicadores

Não existe uma receita milagrosa no que diz respeito a indicadores. Há indicadores que se adequam a um tipo de negócio, mas que não fazem qualquer sentido noutras áreas de atividade. Definir indicadores apenas por definir vai criar ruído prejudicial à performance dos colaboradores e isso terá um impacto negativo nos resultados finais da empresa.

Torne este processo dinâmico

Um indicador que ontem era bastante importante e completamente adequado à realidade da empresa, hoje pode ter perdido a sua relevância. As empresas são organismos vivos e dinâmicos e como tal as mudanças devem ser acompanhadas em todas as áreas da empresa. Avalie pelo menos a cada três meses se os indicadores que tem “ativos” continuam a ser os mais adequados para o seu negócio.

Envolva toda a equipa na definição

É muito mais simples conseguir a colaboração das pessoas se estas estiverem presentes no momento de definição dos indicadores que devem atingir. As equipas conhecem melhor a sua realidade do que os gestores de topo, pelo que é aconselhável contar com a colaboração de cada equipa no momento de definir os indicadores de cada departamento. Deste modo, cada colaborador vai sentir-se envolvido no processo e, consequentemente, estará mais motivado para atingir os objetivos desejados!

 

Que tipo de informação o meu dashboard deve mostrar?

Que tipo de informação o meu dashboard deve mostrar?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os dahsboards são cada vez mais importantes no mundo dos negócios, visto que apresentam a informação mais importante de uma forma visual simples e intuitiva. Softwares como o Multipeers permitem que a informação seja apresentada de forma prática e esta é atualizada ao segundo, pois só com dados atuais é que as decisões tomadas serão benéficas para o futuro da empresa. Os dashboards permitem compreender qual o rumo que a empresa está a tomar e se os objetivos empresariais estão a ser atingidos. No entanto, se um dashboard não for personalizado da forma correta pode tornar-se numa ferramenta confusa, que complica a vida do gestor em vez de o ajudar. No artigo de hoje, abordamos o tipo de informação que o seu dashboard deve mostrar!

Informação executiva

Um dashboard executivo serve para simplificar a compreensão geral da informação. É um dashboard muito útil para analisar os KPI’s e todos os processos de uma empresa a nível global. Esta ferramenta executiva por norma baseia-se em metodologias de gestão, como o Balance Scorecard. O objetivo deste painel é dotar todos os executivos com o acesso a dados importantes para a avaliação correta de novas oportunidades e de pontos de melhoria. Um gestor de topo precisa de saber a cada minuto o que se passa na empresa, pois só assim conseguirá tomar decisões importantes e benéficas para todas as áreas da organização.

Informação de gestão de projetos

Os dashboards de gestão de projetos permitem acompanhar toda a gestão do projeto, desde atividades previstas, cronogramas, entre outros aspetos. É uma ferramenta muito importante porque diminui a probabilidade de errar e aumenta a eficácia da comunicação.

Informação de marketing

A área de marketing é muito importante em todas as empresas e só com um acompanhamento efetivo do que se passa neste setor é que a empresa consegue melhorar. Um dashboard de marketing com informação em tempo real sobre a atividade nas redes sociais de uma empresa permite identificar oportunidades no exato momento em que elas aparecem, o que lhe permite estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma flutuação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, aumentando as vendas e melhorando os resultados da empresa.

Informação sobre análise de resultados

Este painel oferece informações detalhadas e utiliza-se para definir tendências em relação aos objetivos corporativos. Este painel permite que seja possível perceber os resultados de ações internas, bem como reações do público externo relativamente a campanhas. Um bom exemplo deste tipo de dashboard é o Google Analytics, que permite conhecer o comportamento exato dos visitantes do seu website.

Informação das operações do dia-a-dia

Este painel é utilizado pelas equipas de trabalho e foca-se nos processos que cada equipa necessita para desempenhar as suas funções. Os dados que constam deste painel visam identificar pontos críticos da operação, auxiliando a sua correção. Facilitam ainda a comunicação entre todos os membros de uma mesma equipa. É um dashboard que varia conforme o departamento da empresa e as atividades a realizar em cada dia.

[Guest Post] Como escolher entre sistema ERP local e em nuvem

[Guest Post] Como escolher entre sistema ERP local e em nuvem

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

A adoção de um sistema ERP (Sistema de Recursos Empresariais, do inglês Enterprise Resource Planning) apresenta inúmeros benefícios para uma empresa, integrando os setores e otimizando sua gestão. Sabendo de todos estes benefícios, você está ansioso para investir em um sistema ERP, mas não sabe qual o melhor? Escolher o tipo certo de software ERP para sua empresa é sim uma tarefa desafiadora. Nesta hora, é muito importante considerar suas necessidades e fazer a escolha certa.  De entre as diversas opções disponíveis, uma característica que pode levantar dúvidas é a decisão entre uma solução em nuvem (cloud computing) ou local. Apresentamos abaixo algumas vantagens e desvantagens de cada sistema para lhe auxiliar nesta escolha.

O que é o ERP local ou em nuvem?

A diferença básica entre o sistema ERP local e um ERP na nuvem é muito simples. Um ERP local é instalado nos próprios servidores e computadores da empresa. Neste caso, a empresa é responsável pela sua gestão e manutenção. No caso do ERP em nuvem, o sistema é acessado pela Internet e pago com base em assinatura. O software em si não é de propriedade nem licenciado pelo usuário final, mas é fornecido como um serviço. A tecnologia de nuvem é um divisor de águas no setor de ERP, pois oferece software de nível corporativo a um preço mensal acessível e maior flexibilidade. O tipo de solução de ERP que você escolhe terá um impacto significativo em seus negócios. No fim das contas, a funcionalidade do sistema é que determinará qual sistema você escolherá. Aqui estão algumas considerações ao escolher entre uma solução ERP local ou baseada em nuvem:

Custos

Um ERP local geralmente envolve maiores investimentos para comprar e gerenciar o software e hardware, servidores e instalações relacionadas. Este tipo de sistema também exige recursos de TI para manter o sistema em funcionamento. Os custos iniciais do sistema em nuvem são geralmente muito menores, porque não há instalação técnica necessária. O provedor do ERP em nuvem hospeda e oferece suporte, dando toda a assistência de TI necessária. Geralmente, estes sistemas funcionam por um modelo de assinatura pré-pago.

Atualizações

Atualizações de software para soluções locais nem sempre são diretas. Quando é hora de atualizar seu software, sua equipe de TI pode ter que restaurar suas configurações personalizadas e instalar uma versão mais recente do banco de dados. Isso faz com que algumas empresas evitem atualizar seus softwares de ERP, ficando com a tecnologia obsoleta. As soluções de ERP em nuvem são atualizadas automaticamente pelo provedor, portanto, você está sempre usando a versão mais recente. Na nuvem, as atualizações regulares não afetam suas personalizações e integrações.

Segurança

A segurança dos dados em um ERP local depende dos procedimentos e equipamentos da própria organização, cabendo à esta adotar ferramentas de proteção em relação a ataques virtuais e fraudes no sistema. Também será necessário em armazenamento para realização de backups. No caso do ERP em nuvem, o provedor do sistema é o responsável pela segurança. Estes sistemas geralmente integram serviços de recuperação e backup.

Acessibilidade

Conforme mencionado anteriormente, os ERPs em nuvem possuem vantagem em relação à acessibilidade, pois podem ser acessados a qualquer momento, em qualquer dispositivo, desde que haja conexão com a internet. Apesar de mais trabalhoso, é possível configurar o acesso remoto nos sistemas locais. Isso exigirá a instalação do software de rede virtual privada (VPN) em cada dispositivo, procurando acessar o ERP. Se você tiver vários escritórios ou filiais que exigem acesso ao sistema ERP no local, talvez seja necessário configurar uma infra-estrutura de rede de longa distância (WAN) segura.

Customização

O recurso de personalização está facilmente disponível em um sistema em nuvem. Você pode escolher aquele que oferece melhores instalações e atende às suas necessidades e exigências de negócios. Você também pode personalizar e integrar o sistema local, mas isso inclui um custo adicional, além de requerer um retrabalho no desenvolvimento do software.

 

Concluindo, todo negócio é único e suas necessidades também. Portanto, ao escolher um sistema ERP, é importante escolher o software correto, que ofereça menos limitações, mais segurança e com menor custo. Por isso, é bom olhar para todos os fatores acima e tomar uma decisão inteligente ao escolher o melhor sistema ERP para a sua empresa.

5 Motivos para investir num ERP

5 Motivos para investir num ERP

Posted 3 CommentsPosted in Dicas de Gestão

ERP significa Entreprise Resource Planning, ou seja, Planeamento dos Recursos Corporativos. Surgiu no final dos anos 50, época em que se começou a aliar a gestão à tecnologia. Inicialmente, o seu objetivo era otimizar o tempo que se gastava em tarefas manuais, mas hoje este recurso é capaz de integrar todas as informações e processos de uma organização num só local. A missão desta ferramenta é agrupar todos os departamentos da empresa, proporcionando uma melhor comunicação, através de um fluxo de informação contínuo. Este fator revela-se de grande utilidade pois os processos de uma empresa dependem uns dos outros e uma falha de comunicação ou perda de transmissão dos dados pode significar grandes perdas de produtividade e de lucro. No artigo de hoje, apresentamos 5 motivos para investir num ERP!

Controlo geral do negócio

Este é o principal motivo pelo qual deve investir num ERP. A centralização da informação é cada vez mais importante, pois permite um maior controlo sobre os dados e uma tomada de decisão mais eficiente. Os processos tornam-se mais simples e conseguem reduzir-se os custos com formação de utilizadores e infraestruturas. Saber o que se passa no seu negócio é fundamental para tomar as decisões certas e, no dia-a-dia agitado de um gestor, a informação agrupada torna-se uma mais-valia.

Gestão mais eficiente dos Clientes

A informação no ERP sobre os clientes e potenciais clientes da empresa pode ser uma grande vantagem competitiva para as empresas que pretendem adaptar-se a mudanças mais rapidamente. Os sistemas de monitorização permitem obter dados imediatos sobre as ações dos clientes e interações com a empresa, bem como informação sobre o seu histórico de compras. Isto permite que a comunicação com o cliente se torne mais personalizada e objetiva.

Torna os processos empresariais mais ágeis

Como os programas de gestão apresentam a informação de forma condensada e já pronta para análise, a necessidade de fazer relatórios extensos vai desaparecer. Desse modo, os colaboradores que antes tinham essa responsabilidade vão ficar com mais tempo disponível para outras tarefas, o que certamente contribuirá para um aumento de produtividade. A análise em tempo real em conjunto com o ERP elimina as tarefas mais burocráticas, o que torna a empresa mais ágil.

Diminuição da probabilidade de errar

O uso de um ERP reduz as falhas de comunicação e acelera a consolidação dos dados. Toda a informação da empresa vai estar apenas num local, o que torna os processos de análise mais ágeis e eficazes. Assim, a probabilidade de haver falhas de comunicação torna-se bastante reduzida, o que contribui para uma tomada de decisão mais assertiva.

Grande mobilidade

Atualmente, quase todos os ERP apresentam a possibilidade de serem utilizados em dispositivos móveis. Assim sendo, é possível estar numa reunião ou numa viagem e ter informação real e atualizada sobre o estado do negócio. Esta é uma vantagem muito importante, pois cada vez mais o seu negócio é no local em que se encontra, pelo que é fundamental que tenha sempre acesso à informação mais atual sobre a sua empresa!

 

Analisar os dados em tempo real é cada vez mais uma realidade nas empresas em todo o Mundo. Os negócios acontecem a um ritmo muito acelerado e é essencial que saiba o que está a acontecer na sua empresa para conseguir tomar as decisões mais adequadas para o seu negócio. Faça download do nosso e-book e saiba como uma ferramenta BAM o pode ajudar a gerir!

 

 

Como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva?

Como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Dados, dados e mais dados: é assim a vida de um gestor atualmente. A cada dia que passa, produzimos mais informação e torna-se cada vez mais difícil lidar com tantos dados. Se as empresas não conseguirem extrair informação fidedigna dos dados que geram diariamente, eles perdem o seu propósito. Só com informação correta e atualizada é que as empresas serão capazes de tomar as decisões mais acertadas para o futuro do negócio. Neste artigo, vamos perceber como é que a sua empresa pode usar o big data para ser mais competitiva!

Analisar o negócio em tempo real para a obtenção de insights em tempo útil

informação cresce a um ritmo muito acelerado, o que torna cada vez mais difícil a sua análise. A solução indicada é analisar os dados em tempo real para tirar o máximo partido da informação. Produtos como o Multipeers permitem analisar a cada segundo o que se está a passar com o negócio. Desta forma, é possível tirar o máximo partido dos dados para tomar as melhores decisões para o negócio. Aliar a grande quantidade de dados gerada nas empresas a uma análise em tempo real permite obter insights essenciais para o sucesso dos negócios.

Melhor recolha dos dados

Os dados surgem dos mais diversos canais e através do Big Data é possível centraliza-los e agrupá-los por afinidades. É possível estar mais perto do cliente através da recolha de dados por meio de questionários, aplicações, cartões de fidelidade, entre outros instrumentos. Os dados recolhidos são essenciais para que se possa fazer um planeamento assertivo das ações de marketing e comunicação.

Utilize o grande volume de dados na gestão de RH

Muitas empresas enfrentam o desafio de verem as suas equipas mudar várias vezes num curto período de tempo. Sem perceberem porquê, não são capazes de reter os melhores talentos, o que faz com que exista pouca estabilidade. Através da análise dos dados, é possível conhecer melhor cada colaborador e contribuir para que ele se sinta bem no local de trabalho, evitando assim a sua saída. É importante conhecer as motivações, desejos a longo prazo e opiniões dos colaboradores, pois só assim os cargos de gestão conseguirão criar um ambiente agradável e onde cada colaborador se sinta bem. O Big Data na gestão de recursos humanos é um fator essencial para encontrar as pessoas certas para as funções certas. Por exemplo, através do Big Data é possível descobrir se as pessoas que têm uma experiência de trabalho interessante são ou não mais propensas a ficar na empresa por longos períodos de tempo ou se a duração das experiências anteriores tem impacto no desempenho da atual função. Com base nestes resultados, a empresa pode concentrar-se em fatores mais relevantes no momento de recrutar.

 

Tipos de análise de Big Data que irão beneficiar o seu negócio

Análise descritiva

Este tipo de Data Analytics responde à questão “o que está a acontecer agora?”. Através da resposta, as empresas podem analisar os dados sobre perdas de clientes, valores de vendas de um determinado produto e resultado de campanhas lançadas. A análise descritiva permite que se tomem decisões imediatas com um elevado nível de segurança, visto que a análise é feita com base em dados concretos e atuais. A informação proveniente deste tipo de análise é por norma exibida em gráficos e tabelas, o que permite que o gestor tenha uma visão global dos processos monitorizados.

Análise preditiva

A análise preditiva é uma forma avançada de Data Analytics que tem como objetivo responder à questão “o que vai acontecer?”. É um tipo de análise que faz previsões através de probabilidades. Esta análise é possível graças a técnicas como análise de regressão e progressão, correspondência de padrões e diversos tipos de estatística. Este tipo de Data Analytics é muito utilizado em empresas do mercado de ações e investimentos.

Análise diagnóstica

A análise diagnóstica vai explicar-nos porque é que determinada coisa aconteceu. Este tipo de análise vai relacionar todos dados e informações disponíveis, de modo a encontrar padrões de comportamento que possam explicar os resultados. É uma análise importante para encontrar problemas e sobretudo para evitar repeti-los no futuro.

Análise prescritiva

A análise prescritiva é a análise da adivinhação. Responde à pergunta “o que poderá acontecer se tomarmos esta medida?”. Este tipo de análise é muito importante sobretudo na área de vendas. Por exemplo, se pensarmos em dar 15% de desconto no próximo mês no produto menos vendido da empresa, a probabilidade de aumentarmos as vendas é de 40%. A análise prescritiva levanta hipóteses sobre possíveis resultados das ações tomadas pela empresa. É uma análise essencial para os gestores, pois ajuda-os a avaliar da melhor forma a escolha de determinada estratégia para resolver algum problema.

 

 

Como é que um dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais?

Como é que um dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais?

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

Os dashboards têm uma importância cada vez maior nas empresas. No dia-a-dia empresarial agitado, os gestores necessitam de consultar diversas fontes de informação de modo a conseguirem obter todos os dados de que precisam para uma tomada de decisão consciente. Este é um processo que consome demasiado tempo e, não raras vezes, a informação encontra-se desorganizada, o que prejudica muito uma tomada de decisão rápida e eficaz. Assim sendo, o dashboard é hoje uma ferramenta fundamental para os negócios e no artigo de hoje vamos perceber como é que o dashboard pode ajudar a tomar decisões empresariais!

O que é um dashboard?

Um dashboard é um painel de controlo que apresenta de forma visual as informações mais importantes sobre o negócio. No caso de utilizar uma ferramenta como o Multipeers, a informação é atualizada permanente e automaticamente, de modo a que tenha ao seu dispor as informações mais atuais sobre tudo aquilo que se passa na empresa.

Conhecimento constante sobre os objetivos empresariais

Ao utilizar um dashboard, consegue facilmente perceber se os seus objetivos de negócio estão a ser cumpridos. Relacionar os KPI’s com as atividades do dia-a-dia é essencial para que os objetivos individuais e globais sejam alcançados de forma mais simples. Só com um conhecimento efetivo do que se passa na empresa e da evolução das áreas é que conseguirá tomar decisões certas para a boa continuação do seu negócio.

Avaliação permanente do negócio

Uma das principais vantagens do uso de dashboards relaciona-se com o facto de poder analisar constantemente o presente e o passado do seu negócio. Com um dashboard, é muito fácil analisar o histórico da empresa e encontrar padrões de comportamento do passado que irão ajudar a tomar decisões no presente que não comprometem o futuro!

Identificação de problemas em tempo útil

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. O dashboard vai juntar o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o sistema é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério.

Condensa todas as informações da empresa num só local

Neste campo, é preciso ter cuidado para não ter um dashboard demasiado “cheio”, ou seja, com informação que não é relevante para a sua tomada de decisão. Isso só vai criar ruído visual e complicar a sua análise. Deve criar um dashboard de fácil leitura e apenas com os dados que realmente importam para si.

Os gestores nem sempre conseguem identificar desvios nas rotinas de trabalho em tempo útil, o que compromete a produtividade do negócio. Os dashboards juntam o histórico das operações da empresa e pode definir padrões para detetar desvios e anomalias em tempo real. Assim, o Multipeers é capaz de perceber que algo não está bem e de alertá-lo de imediato para que possa agir antes de se tornar um problema sério!

 

As vantagens de automatizar a gestão logística

As vantagens de automatizar a gestão logística

Posted Leave a commentPosted in Dicas de Gestão

O setor logístico é um dos mais estratégicos numa empresa e é uma área que requer mais atenção e cuidados durante o dia-a-dia. Quando este setor não funciona corretamente, todo o processo produtivo de uma empresa poderá ser posto em causa. A automatização neste setor potencia resultados e traz diversos benefícios para as empresas. No artigo de hoje, apresentamos as principais vantagens de automatizar a gestão logística da sua empresa!

Controlo total dos processos

Automatizar a gestão da informação no setor logístico é garantir que existe uma grande organização a todos os níveis. Através de sistemas de monitorização em tempo real como o Multipeers, a empresa consegue saber a cada momento o que se passa ao longo da cadeia logística, podendo tomar decisões imediatas que beneficiam o negócio. A rotina dos colaboradores torna-se mais simples pois eles conseguem fazer análises mais rápidas e não necessitam de procurar informação em diversas fontes de dados.

Redução dos custos

Reduzir custos é uma preocupação constante nas empresas. O maior controlo sobre os processos permite ações mais conscientes que, automaticamente, conduzirão a decisões mais acertadas e vantajosas para as contas da empresa. Além disso, a substituição de processos manuais por soluções automatizadas, com a consequente redução de erros e identificação precoce de falhas, contribuem positivamente para o controlo dos custos.

Informação integrada

Um sistema de gestão automatizado permite que toda a informação da empresa esteja concentrada num só local e isso faz com que o acesso aos dados seja mais fácil para todos os colaboradores. Esta rapidez no acesso à informação logística permite que se tomem decisões mais rápidas e conscientes, evitando atrasos na realização das tarefas. A informação integrada permite que se criem relatórios em tempo real, possibilitando a imediata deteção de eventuais problemas que comprometem o fluxo de trabalho.

Maior rendimento

A parceria correta entre o Homem e a máquina permite um maior rendimento no dia-a-dia. Permite ainda eliminar custos com excesso de mão-de-obra, pois consegue-se facilmente otimizar o trabalho dos colaboradores. A automatização no setor da logística traz essa vantagem, pois tarefas que antes necessitavam de intervenção humana, agora podem ser executadas de forma automática e muito mais rápida.

Identificação célere de oportunidades de negócio

Com a utilização de ferramentas automáticas poderá identificar oportunidades no exato momento em que elas surgem, o que lhe permitirá estar sempre um passo à frente da concorrência. Uma modificação na procura de um produto, por exemplo, poderá levá-lo a lançar uma campanha específica, o que vai aumentar as vendas e melhorar os resultados globais.

 

Conheça as vantagens de um sistema BAM e saiba como pode tirar o máximo partido desta ferramenta!